terça-feira, 26 de abril de 2011

sexta-feira, 7 de maio de 2010

10 motivos para legalizar a canábis:

1 – A proibição não funciona

Contribui na inflação dos preços, gerando enormes lucros que servem para estimular a corrupção ao mais alto nível – o que permite manter o tráfico.

2 – O consumo de canábis é menos perigoso do que outros produtos legais.

A canábis é menos aditiva e menos perigosa do que outras substâncias legais. Para além das mortes relacionadas com fármacos legais, segundo o último Relatório Mundial Sobre Drogas divulgado pelo Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime: O tabaco é usado por 25% da população mundial e mata 5 milhões de pessoas por ano, enquanto o álcool mata 2,5 milhões de pessoas por ano – e não se morre por fumar canábis.

3 - Porque até 1970 foi legal fumar canábis em Portugal.

A canábis tem 1001 utilidades: papel, roupa, medicamentos, combustível, comida, etc. O desenvolvimento de novos segmentos industriais permitiria criar empregos. Voltando a ser legal, o dinheiro arrecadado pelo Estado em impostos sobre o seu comércio pode ser usado em investigação científica, na saúde ou na educação.

4 – Permite criar regras.

Legalizar a canábis não quer dizer que fique disponível para todas as pessoas. A legalização permite um maior controle sobre a venda de canábis, em locais próprios e a maiores de idade. Com a sua proibição, é mais fácil a qualquer pessoa comprar canábis do que tabaco ou álcool, quem vende canábis não pede o bilhete de identidade.

5 – As pessoas sempre consumiram canábis e vão continuar a fazê-lo.

Há milhares de anos que os seres humanos utilizam a canábis por inúmeras razões, entre elas o uso recreativo. Apesar das medidas repressivas, continua a ser a droga ilegal mais consumida em todo o mundo.

6 – Ajuda a melhorar a informação e canábis não adulterada.

Só a legalização pode reduzir danos e proteger a saúde dos consumidores. A garantia da não adulteração dos derivados de canábis e da informação correcta acerca das consequências da sua utilização, só é possível num mercado legal e regulamentado.

7 – Acaba com a perseguição policial de consumidores.

Segundo dados do Instituto de Drogas e Toxicodependência em 2008, 68% dos processos de contra ordenação relacionados com a posse de drogas eram relativas só a canábis, correspondentes a 4163 processos num ano, ou seja, uma média de mais de 11 por dia. Neste relatório mantém-se o predomínio da canábis em relação às outras substâncias, 47% dos casos no que diz respeito a presumíveis infractores na posse apenas de canábis interpelados pela polícia. No caso das condenações ao abrigo da Lei da Droga a canábis também é predominante, e só em 2008 foram condenados 497 pessoas na posse de canábis apenas, representando assim 36% do total das condenações. Esta lei não só é injusta, como gasta recursos financeiros, judiciais e policias na perseguição de pessoas que não são criminosas.

8 – As pessoas saudáveis não devem ser tratadas como doentes.

Aos olhos da lei, os consumidores de canábis são considerados doentes, tendo que consultar um psicólogo. A patologização do consumidor, tratada no âmbito epidemiológico é uma farsa - são vários os casos de atletas de sucesso consumidores de canábis.

9 – Legalizar a canábis é respeitar a liberdade de escolha.

O Estado não deve ter o direito de intervir na vida privada dos seus cidadãos sem que estes prejudiquem o interesse colectivo. Também não deve perseguir os cidadãos em função das suas escolhas pessoais, politicas ou religiosas.

10 – Todos a fumam!

Usar canábis para fins recreativos não é algo que se possa associar a um grupo social ou a um contexto cultural especifico. Fumar canábis é acto diário praticado por milhões de pessoas no mundo inteiro, de todas as profissões, géneros, etnias, classes sociais, etc. São cidadãos comuns que não prejudicam ninguém e que por isso merecem ser respeitados nas suas escolhas, nas suas crenças e nos seus estilos de vida.

sábado, 24 de abril de 2010

terça-feira, 9 de março de 2010

Novo site

Visita o novo site da Marcha Global da Marijuana de Braga em http://mgmbraga.site11.com/#

http://mgmbraga.site11.com/#

Visita o novo site da Marcha Global da Marijuana de Braga

quarta-feira, 13 de maio de 2009

sábado, 9 de maio de 2009

MGM contou com cerca de 100 pessoas

video

Marcharam cerca de 100 pessoas na Marcha Global da Marijuana em Braga contra o probicionismo e a hipocrisia. Foi a primeira vez que Braga organizou algo desta envergadura possibilitando a Portugal passar a manifestar-se em quatro cidades diferentes pela legalização da Marijuana. Em quatro anos, a Marcha Global da Marijuana cresceu muito, tanto em número de pessoas a manifestarem como em números de cidades a organizá-la. Esperamos que para o ano mais marchantes e mais cidades se juntem a nós para alcançarmos o nosso objectivo final. Legalização! Esperamos todos os contactos de quem queira contribuir para a organização de mais eventos da MGM Braga e para as marchas dos próximos anos.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Petição para a Assembleia da República

Em época eleitoral consideramos que é útil e urgente que os partidos se pronunciem e tomem posição sobre esta matéria. Porque a proibição da canábis é uma política errada, quem a defende deve ser capaz de a justificar, algo que ainda não foi feito.
O objectivo da nossa marcha é por isso o objectivo da petição que aproveitamos para lançar. Esta petição é dirigida à Assembleia da República e está disponível on-line em http://legalizacao.pt.vu/.
Petição à Assembleia da República solicitando a legalização da canábis para auto-cultivo (cultivo para consumo próprio) e a sua venda em estabelecimentos autorizados a maiores de idade.
Não sendo inócua, a canábis é, das drogas ilegais, a mais consumida em todo o mundo. Apesar disso, a sua utilização não causa qualquer impacto negativo nos interesses colectivos da sociedade. E por isso, o Estado não tem o direito de proibir a sua utilização.
A proibição prejudica a saúde pública impedindo a aplicação de medidas de redução de riscos e fomenta a desinformação; promove o comércio ilegal financiando os grandes traficantes e desperdiça recursos na guerra ao tráfico e, apesar da descriminalização, continua a perseguir e a prender utilizadores. A proibição atenta contra a liberdade individual e o direito à não interferência do Estado na vida pessoal dos seus cidadãos.
A legalização protege a saúde pública, assegurando a não adulteração das substâncias e o acesso a informação correcta e credível; permite reduzir drasticamente o tráfico e contribuir com impostos para a educação, investigação e prevenção;
Por isso propomos a legalização da canábis para auto-cultivo (cultivo para consumo próprio) e a sua venda em estabelecimentos autorizados a maiores de idade.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Dia 9, às 15h no Arco da Porta Nova

MARCHA GLOBAL DA MARIJUANA 2009 BRAGA


A Marcha Global da Marijuana (MGM) é uma iniciativa internacional que reinvindica a legalização da marijuana. Realiza-se desde 1999 no primeiro sábado de Maio (este ano, excepcionalmente, no segundo sábado) e desde então já contou com a participação de 485 cidades por todo o mundo. Em Portugal a primeira MGM aconteceu em 2006 na cidade de Lisboa, tendo o Porto aderido em 2007 e Coimbra em 2008. Este ano pela primeira vez, Braga junta-se à MGM com uma concentração.

As propostas da Marcha:

- Remoção da Canábis e de todos os produtos derivados da planta das listas de substâncias controladas, anexas à lei 15/93 e das respectivas adições a estas listas.

- Desburocratizar e dar prioridade ao cultivo e à indústria de Canábis para a produção de energias renováveis (biomassa; biodiesel; etanol) e para a produção de fibra e pasta de papel, apostando numa produção sustentável com respeito pelo equilíbrio ambiental e pelas populações locais.

- Permitir que médicos e outros profissionais de saúde tenham a possibilidade de recomendar o uso de Canábis no tratamento terapêutico, sintomatológico ou para a melhoria da qualidade de vida, nomeadamente, a doentes de SIDA, cancro, em tratamento de quimioterapia, esclerose múltipla, glaucoma ou doença de Chron, entre outros que com o seu uso possam ter melhorias de saúde e qualidade de vida.

- Despenalização da posse, consumo e cultivo de Canábis e de todos os produtos derivados desta planta.

- Criação de regulamentação para o fornecimento, comércio e compra legal de Cannabis por adultos.

- Criação de regulamentação para estabelecimentos públicos onde o consumo
de Canábis por adultos seja permitido.


Em Braga a partida será no Arco da Porta Nova às 15h de sábado, dia 9 de Maio.

Quem vem e traz amigos?

domingo, 3 de maio de 2009

Marcha Global da Marijuana de Braga

A Marcha Global da Marijuana decorrerá no segundo sábado de Maio (9 de Maio). Iniciará com uma concentração às 15h no Arco da Porta Nova e depois seguirá pela Rua do Souto para terminar na Avenida Central.

Sai do armário e traz a tua faixa, a tua pancarta, os teus instrumentos musicais e vem com amig@s marchar pela legalização!